Home Curiosidades 10 anjos da morte mais conhecidos na bíblia e na mitologia

10 anjos da morte mais conhecidos na bíblia e na mitologia

by Educação em Movimento
0 comment

Um anjo da morte segundo a tradição cristã, é um anjo que foi expulso do paraíso. No entanto, seu significado varia entre as culturas. Em muitas religiões em todo o mundo, os anjos são considerados seres espirituais que atuam como intermediários entre Deus e os humanos.

Desse modo, como mensageiros de Deus, os anjos podem desempenhar diferentes funções. Assim, sua principal tarefa pode ser ensinar, dirigir ou informar as pessoas sobre seu destino. Os anjos também podem agir para proteger ou ajudar as pessoas.

O que é um anjo da morte?

A palavra anjo vem da palavra grega ‘Angelus’, que significa mensageiro. Nas religiões ocidentais, a palavra geralmente descreve um ser gentil ou benevolente. No entanto, na maioria das religiões, a linha que separa os anjos “bons” dos anjos “maus” nem sempre é tão clara.

Um anjo pode agir com benevolência sob certa circunstância, mas com más intenções sob outra. Além disso, nas religiões baseadas na revelação (a comunicação da verdade ou vontade divina para com a humanidade), o papel dos anjos se desenvolve com muito mais detalhes. Veja os principais anjos da morte que se tem relatos, a seguir.

10 anjos da morte mais conhecidos na bíblia e na mitologia

1. Azrael

 

Apesar de ser um anjo menos conhecido, Azrael é uma figura importante dentro de várias religiões importantes, incluindo o judaísmo, o cristianismo e o islamismo.

Ele é um arcanjo no céu, semelhante a Gabriel e Samael, mas exerce um poder assustador. Com efeito, o anjo da morte ou destruição é comandado pelo próprio Deus para erradicar e renovar toda a vida.

Embora seja dito que ele é um ser de luz, Azrael tem um lado negro horrível. Semelhante ao anjo caído Abaddon, Azrael tem a tarefa de cumprir a vontade de Deus (seja coletar as almas dos que partiram ou aplicar punições aos pecadores).

Independentemente do caos que ele possa causar, Azrael coloca sua lealdade a Deus acima de tudo.

2. Abaddon

No livro do Apocalipse do Novo Testamento, um anjo chamado Abaddon é descrito como o rei de um exército de gafanhotos; seu nome é transcrito pela primeira vez em grego.

3. Mal’akh ha-Mavet

Mal’akh ha-Mavet é o anjo destruidor ou anjo da morte na Bíblia Hebraica. Segundo o Tamulde, ele é uma entidade enviada por Yahweh em várias ocasiões para matar os inimigos dos israelitas.

No Livro de Samuel, ele mata os habitantes de Jerusalém. Já, em Crônicas, o mesmo “anjo do Senhor” é visto por Davi em pé “entre a terra e o céu, com uma espada desembainhada na mão estendida contra Jerusalém.

4. Yama

 

Yama ou Yamarāja é um deus da morte, da direção sul e do submundo, pertencente a uma das primeiras divindades hindus rigvédicas. Em sânscrito, seu nome pode ser interpretado como “gêmeo“. Além disso, no Zend-Avesta do Zoroastrismo, seu nome mais comum é “Yima”.

5. Samael

Samael (ou Cegueira de Deus) é um arcanjo importante na tradição talmúdica e pós-talmúdica, uma figura que é acusadora, sedutora e destruidora e tem sido considerada como bom e mau.

Além disso, os escritos rabínicos descrevem Samael como o anjo da guarda de Esaú e patrono de Edom. Ademais, Samael também é tido como sinônimo de Lúcifer segundo a Bíblia.

6. Psicopompos

Os psicopompos são criaturas, espíritos, anjos ou divindades em muitas religiões, cuja função é escoltar as almas para a vida após a morte. Todavia, seu papel não é julgar o morto, mas simplesmente fornecer passagem segura.

Aparecendo com frequência na arte funerária, os psicopompos foram retratados em diferentes épocas e em diferentes culturas como entidades antropomórficas, cavalos, veados, cães, coiotes, corvos, corujas, pardais e pombos.

Desse modo, quando vistos como pássaros, costumam ser vistos em grandes massas, esperando do lado de fora da casa dos moribundos.

7. Miguel

Miguel é um arcanjo no judaísmo, no cristianismo e no islamismo. Nas tradições católica romana, ortodoxa oriental, anglicana e luterana, ele tem nome de “São Miguel Arcanjo” ou apenas “São Miguel”.

Por outro lado, nas tradições Ortodoxa Oriental e Ortodoxa Oriental, ele é chamado de “Arcanjo Miguel” e é também um anjo da morte.

8. Mot

Mot era o antigo deus cananeu da morte e do submundo. Com efeito, o povo de Ugarit, bem como os fenícios e hebreus do Antigo Testamento o adoravam como anjo da destruição.

9. Sariel

A tradição judaica diz que muitos anjos diferentes como Sariel e Jeremiel podem ajudar os moribundos a fazer a transição da vida na Terra para a vida após a morte ou para a próxima vida; (aliás, o Judaísmo tem muitos entendimentos variados sobre o que acontece após a morte, incluindo reencarnação).

10. O ceifador (figura da morte)

A personificação do Anjo da Morte como uma criatura maligna vestindo um capuz preto e carregando uma foice (o Ceifador da cultura popular) originou-se em um dos períodos mais sombrios da história da humanidade, ou seja, a Peste Negra.

No século 14, a peste devastou o mundo, matando pelo menos 25 milhões de pessoas, embora algumas estimativas apontem esse total para perto de 75 milhões de pessoas.

Nessa época, as pessoas sentiam que a morte estava literalmente caminhando entre elas, então a personificação da Morte era inevitável.

Com efeito, o aspecto físico desse anjo da morte é inconfundível: ele usa uma grande capa preta, tem rosto e mãos esqueléticas, olhos brilhantes e segura uma foice – o longo bastão com uma lâmina curva no topo.

 

 

You may also like